Elena: Eu fui para casa hoje, pensando em fazer o que eu sempre faço; escrever no meu diário,

como eu escrevo desde que eu ganhei um quando minha mãe me deu quando eu tinha dez anos. Tudo que eu penso, vai para esse livrinho, que eu escondo na prateleira atrás de uma sereia horrorosa de cerâmica, mas aí eu percebi que tudo que eu tinha que escrever eu tinha que dizer para você.
Stefan: O que você tinha que escrever?
Elena: Eu ia escrever “querido diário”. Hoje eu me convenci que tudo bem desistir, não correr riscos. Ficar na zona de conforto sem dramas, não é a hora. Mas os meus motivos não passam de desculpas. E tudo que eu estou fazendo é me esconder da verdade, e a verdade é… Eu estou com medo, Stefan. Eu estou com medo de me deixar ser feliz por um momento, e aí o mundo inteiro desabar e eu não sei se vou conseguir superar.
Stefan: Quer saber o que eu ia escrever? “Conheci uma garota. Conversamos, foi incrível. E aí o sol nasceu e tudo voltou à realidade”, essa é a realidade, aqui e agora. 

beijos, julie.