“Eu era um palerma. Ela era apaixonante.

Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitamente fascinante. Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.”

Quem é você, Alasca?

beijos, julie.